quarta-feira, 6 de maio de 2009

CARRINHO DE COMPRAS PODERÁ AUMENTAR OU ACABAR

Câmara Municipal de Porangatu, poderá ganha mais 4 vereadores são eles: Arnaldo Chaveiro(PMDB),Junior Borges(PDT),Mercia Cristina(PTB) e Valdir "Nego Vá"(PR).
Acontecendo, esperamos que esses novos edis ao assumirem tomem posturas diferentes, dentre elas as farras dos cartões BrasilCard, hoje uma realidade na Câmara. Caso contrario, é inutil o aumento de cadeiras na casa.
“É difícil dizer o que revolta mais nos abusos cometidos por nossos nobres parlamentares. Se a desfaçatez ou a falta de “simancol”.
A cada dia mais detalhes do oba-oba com o dinheiro público. Meu celular sempre tem alguem querendo revelar algo.
Alias, Presidente Odair Amorim(PSC), o senhor esta contratando um serviço de arquitetura na cidade de Gurupi,Estado do Tocantins?
Será que em Porangatu ou outra cidade de Goiás não tem profissionais na area qualificados?
Onde estão os arautos da ética e fiscais rigorosos do Executivo. Oh!!! Mesa Diretora 2009, fala alguma coisa ou vão continuar, inventam desculpas esfarrapadas para justificar o injustificável.
Sinceramente, espero se passar pelo plenário a PEC 336/04 , que os novos vereadores possam melhorar a qualidade desta legislatura.

A PEC 336 é oriunda da PEC 333/04, conhecida como "PEC dos Vereadores" e aprovada pela Câmara em maio de 2008.

O texto adotado pelos deputados ampliava o número de vagas nas câmaras de vereadores e, ao mesmo tempo, limitava as despesas dos legislativos municipais, proporcionando uma economia anual de cerca de R$ 1,2 bilhão.
Durante a análise no Senado, a parte que tratava da redução de despesas foi extraída da PEC, sendo aprovado apenas o aumento das vagas.
É esse texto que os deputados voltam a analisar agora.
Tramitação zerada. Como a PEC foi substancialmente alterada, recebeu um novo número e a tramitação foi "zerada". Ou seja, ela vai passar pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, para análise da admissibilidade.
Se aprovada, segue para exame em comissão especial, antes de votação em dois turnos no Plenário.
A proposta de ampliação do número de vereadores foi pivô de uma crise política entre a Câmara e o Senado no ano passado.
O então presidente Arlindo Chinaglia, com apoio dos demais integrantes da Mesa Diretora, recusou-se a promulgar o texto aprovado pelos senadores, com o argumento de que ele era diferente do analisado pelos deputados.
A recusa levou o então presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho, a entrar com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) exigindo a promulgação parcial da PEC 333.
Em março deste ano, as novas mesas diretoras das duas Casas decidiram que os senadores vão analisar a parte que trata da limitação de gastos em outra proposta, para então remetê-la à Câmara.
O Senado também desistiu do mandado de segurança no STF.

Um comentário:

DINHACLAUDIA disse...

Meu amigo Marcello, quero parabenizá-lo por ser porta voz do povo desta cidade e por ter coragem de falar em nome dele (povo). Gosto muito desta cidade e tenho saudades deste lugar... q bom poder acompanhar um pouco das denuncias e um pouco da historia da minha querida Porangatu.
Sinto muito pelos passos errados dos nossos representantes, desinformados, sem preparo...
acompanharei o desenrolar dessas historias....